EAD como combate o abandono da qualificação

Salve caro(a) leitor(a)! Você está lendo um dos textos da Trace Brasil sobre qualificação constante e o ensino a distância. Esse texto faz parte de uma série de leituras e abordagem sobre esse tema e você pode encontrar os demais trabalhos no nosso site, e não perder o fio da meada. Te indicamos também o aplicativo da Trace Academia, caso queira conhecer nossos cursos rápidos, ministrados por nossos parceiros especialistas, e dar um gás na carreira ou no seu negócio. A melhor parte? É tudo gratuito. Corre lá na loja de aplicativos do seu celular!

 

Em nossa postagem anterior, comentamos brevemente a respeito das vantagens e desvantagens envolvidas na educação a distância, e como esta pode ajudar a potencializar a carreira e permitir novas oportunidades, sem esquecer dos custos emocionais envolvidos nessa empreitada, de gerenciamento do próprio tempo, disciplina e inteligência emocional necessárias para obter sucesso nesse ambiente.

 

Outra vantagem nem tanto explorada nesse debate envolve as possibilidades que a educação à distância oferece em relação ao abandono da qualificação profissional, que ocorre em todos os níveis da carreira e idade. No entanto, é na população mais jovem, de até 29 anos, que esse abandono acontece com mais intensidade, caracterizando um contigente populacional inteiro com o nome nem nem, a geração que nem estuda nem trabalha. Esse grupo, que no Brasil somam mais de 12 milhões de jovens em 2021, enfrentam dificuldades crescentes de se posicionar no mercado de trabalho e dar início as suas carreiras, principalmente porque o mercado exige qualificação profissional, por um lado, ou experiência profissional, por outro, e nem uma das possibilidades está plenamente disponível para esse grupo cada vez maior.

 

Cada vez maior porque houve um crescimento desse grupo populacional durante o período da pandemia em relação ao abandono na qualificação profissional. Dados do mapa da educação apontam que passou de 30% para 35% o abandono dos cursos superiores no período da pandemia em cursos presenciais de ensino superior. Em cursos de educação à distância, esse número chega a 40%. A evasão escolar nos níveis fundamentais e médios também cresceu durante a pandemia, principalmente devido à educação a distância ser utilizada como um dos mecanismos de controle sanitário da população. Em um país onde o acesso a internet e a computadores conectados em rede não é plenamente universalizado, parcelas inteiras da população jovem tiveram seu acesso a educação interrompidos devido às medidas de restrições.

Por outro lado, vale a pena insistir nesse caminho quando voltamos à qualificação para o trabalho, principalmente para aqueles que estão ou buscam se inserir no mercado de trabalho profissional, principalmente porque as demais possibilidades se tornaram cada vez mais escassas, como o ensino presencial. 

 

Aí voltamos para as vantagens dos cursos rápidos e específicos, que buscam promover uma qualificação direcionada para as oportunidades do mercado. Em uma perspectiva coletiva, muita política pública precisa avançar para garantir o acesso universal a todos a essas oportunidades, mas em uma perspectiva individual, se faz necessário um jogo de cintura cada vez maior para escapar dessas estatísticas e alcançar algumas posições interessantes. As dificuldades aumentam, aumentando ainda mais a necessidade das soft skills necessárias, como resiliência, disciplina e inteligência emocional, para se utilizar dessas ferramentas para continuar a qualificação profissional e seguir em frente nesse ambiente cada vez mais complexo.

A Trace Academia busca contribuir com esse cenário oferecendo cursos rápidos de qualificação profissional no nosso aplicativo, que segue expandindo e ofertando cada vez mais oportunidades de aprendizado. 

 

Share:

Newsletter

"*" indica campos obrigatórios

Agreements