Home / News /As vantagens da educação à distância e suas desvantagens

As vantagens da educação à distância e suas desvantagens

Salve caro(a) leitor(a)! Você está lendo um dos textos da Trace Brasil sobre qualificação constante e o ensino a distância. Esse texto faz parte de uma série de leituras e abordagem sobre esse tema e você pode encontrar os demais trabalhos no nosso site, e não perder o fio da meada. Te indicamos também o aplicativo da Trace Academia, caso queira conhecer nossos cursos rápidos, ministrados por nossos parceiros especialistas, e dar um gás na carreira ou no seu negócio. A melhor parte? É tudo gratuito. Corre lá na loja de aplicativos do seu celular!

 

Com a crescente digitalização do ensino, em que computadores conectados em rede se tornaram ferramentas de trabalho cada vez mais utilizadas no dia a dia da sala de aula e dos estudos, novas oportunidade começaram a surgir, como a educação a distância. Essa, no entanto, não é uma ideia nova e moderna, já que no passado era feita pela tv ou por correspondência, e as pessoas podiam aprender uma série de ofícios se inscrevendo nessa modalidade de curso. No Brasil, por exemplo, existiam o clássico Telecurso 2000, em que o Sistema S, da FIESP, produzia e transmitia cursos diversos na tv aberta brasileira, e o Instituto Universal Brasileiro, que oferecia seus cursos por correspondência. A principal vantagem desse tipo de curso era romper os limites geográficos, dando acesso ao conhecimento para pessoas que se encontravam distantes dos locais de ensino.

 

Mas foi com a internet, e sua comunicação de ponta a ponta, que EAD – educação à distância – ganhou força, permitindo a comunicação direta e instantânea entre professores e alunos de forma simultânea à transmissão do conhecimento, facilitando em muito o ambiente de aprendizagem. Esse tipo de autocomunicação, em que a mensagem vai e vem, como é comum na internet, favoreceu a implementação de modelos bem-sucedidos de educação a distância, e passou a ser adotado por diversas instituições de ensino. Hoje, por exemplo, é possível se inscrever e frequentar digitalmente cursos de universidades renomadas até mesmo de outros países, como Harvard e Oxford, que passaram a oferecer cursos rápidos e gratuitos à distância. Outras universidades chegam a oferecer cursos inteiros de graduação para seus alunos de EAD, em que os certificados e diplomas tem a mesma validade daqueles cursos presenciais. 

 

Com a pandemia, essa modalidade se tornou quase que obrigatória para contribuir com as demais medidas de isolamento, e se disseminou em todo o mundo, mostrando sua potência e suas limitações. A principal entre elas, certamente, se baseia na ideia de que o aluno precisa desenvolver muita disciplina para se sair bem na empreitada, já que os horários de aulas e estudos muitas vezes dependem do próprio aluno. Com a excessão das reuniões e video conferências que ocorrem de forma simultânea, os demais conteúdos quase sempre estão disponibilizados como materiais didáticos e podem ser acessados a qualquer momento. O acesso a internet também pode ser um impeditivo para esse tipo de prática, e como a rede não está distribuída de forma universal, nem todo mundo consegue participar dessa modalidade.

 

Outra desvantagem desse tipo de curso é o baixo acesso aos colegas, ainda mais quando cada um trabalha e estuda no seu próprio tempo, havendo poucas possibilidades de trocas entre eles. Essa desvantagem, no entanto, é revertida em partes com a possibilidade de comunicação instantânea entre os alunos via mensagens, permitindo a colaboração para a solução dos problemas cotidianos, o que não ocorria no passado via televisão ou correspondência.

 

Share:

Newsletter

"*" indica campos obrigatórios

Agreements